Domingo, 22/10/2017, Hora: Boa noite. Seja bem vindo!.

Atendimento
(54)2104-1150

Notícias/Eventos eAgenda

21/12/2015 Panorama Econômico - Segunda-Feira - 21/12/2015
Panorama Econômico - Segunda-Feira - 21/12/2015

Brasil – Governo tenta evitar recesso. Aécio lidera pesquisas. Mais parlamentares decididos pelo impeachment do que contra.

Governo faz última tentativa por um recesso mais curto – Focado em tirar o tema impeachment da frente, o governo tentará encurtar o recesso. O ministro da Secretaria de Governo, Ricardo Berzoini, fará a última reunião com líderes da base para fechar a questão, às 15 horas. O governo defende um recesso encurtado com um retorno dos trabalhos dos parlamentares ainda em janeiro. O recesso do Congresso começa oficialmente no dia 23 de dezembro e acaba no dia 2 de fevereiro.


Entre deputados, 42% são pró e 31% contra o impeachment – Segundo o Datafolha em pesquisa com deputados federais, existem mais parlamentares já decididos a votar do impeachment do que contrários. Nenhum dos dois lados, no entanto, já tem os votos suficientes para sair vencedor, levando a decisão está na mão de uma parcela de 27% dos deputados, o equivalente a 138 parlamentares, que ainda não se definiram ou não responderam à pesquisa.42% dos deputados afirmaram que são favoráveis ao afastamento, o equivalente a 215 votos. Para o impeachment passar na Câmara, são necessários, ao menos, 342 votos, ou dois terços do total. Faltam, portanto, 127 votos. Do outro lado, 31% dos parlamentares votariam contra o impeachment, o que seriam 159 votos, restando 12 apoios confirmados para que a presidente atinja a marca de 171 votos, suficiente para sobreviver no cargo.

Aécio lidera corrida pela presidência, diz Datafolha – Em pesquisa sobre as intenções de voto para uma disputa em 2018, Aécio Neves lidera nos dois cenários testados com o seu nome, segundo o Datafolha. No cenário que inclui o atual prefeito do Rio, Eduardo Paes, Aécio tem 26% das intenções de voto, seguido pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com 20%, e pelos ex-ministros Marina Silva, com 19%, e Ciro Gomes, com 6%. Nesse cenário, Eduardo Paes aparece com 1% das intenções de voto. No cenário que inclui Michel Temer como candidato do PMDB, Aécio lidera com 27% das intenções de voto, seguido por Lula (20%), Marina Silva (19%) e Ciro Gomes (6%). Temer aparece com 2% das intenções de voto.


Confiança da Indústria avança – Segundo a FGV, a confiança da indústria atingiu 75,7, avançando 0,9 ponto em relação ao final de novembro, onde atingiu 74,8 pontos. Na comparação anual, queda de 11 pontos. O índice de expectativas aumentou 1,9, indo para 77 pontos, e o índice de situação atual permaneceu estável em 74,8 pontos.

Governo e Cunha podem levar regras do impeachment novamente ao STF - O governo e o PT decidiram que vão recorrer ao STF para barrar uma eventual manobra articulada pela oposição para tentar, a partir de uma alteração no regimento interno da Câmara, tornar viáveis as candidaturas avulsas na comissão especial que analisará o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, adiantou que provavelmente entrará com embargos de declaração no Supremo a fim de ter clareza sobre o alcance da decisão da Corte da semana passada que definiu o rito do processo que envolve a petista. Os dois possíveis movimentos são mais um lance no embate que pode levar, de novo, as regras do processo do impeachment para a Corte.


Radar: Barbosa e RTI no foco local - O novo ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, é destaque neste início de semana no Brasil. Na agenda de hoje de Barbosa consta reunião com o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini (9h30); teleconferência com investidores nacionais e estrangeiros (12h00); e a cerimônia de transmissão do cargo (17h00). A presidente Dilma Rousseff cumpre agenda em Assunção, no Paraguai, onde participa da XLIX Cúpula dos Estados Partes do Mercosul e Estados Associados (11h00), e depois da cerimônia de transmissão de cargo na Fazenda ao ministro Nelson Barbosa. Estão previstas ainda a divulgação da nota do setor externo de novembro (10h30). Após as contas correntes apresentarem déficit de US$ 4,166 bilhões em outubro, a expectativa para novembro vai de - US$ 4,650 bilhões a -US$ 3,5 bilhões, com mediana de -US$ 4,250 bilhões, segundo o AE Projeções. E quase todas as estimativas para o Investimento Direto no País (IDP) deverão cobrir o rombo previsto nas contas externas de novembro. As expectativas para o IDP vão de US$ 4,600 bilhões a US$ 5,500 bilhões, com mediana de US$ 5,000 bilhões. Em outubro, o IDP ficou em US$ 6,712 bilhões. Também hoje, sai a balança comercial semanal (15h00). No Congresso, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, reúne-se com integrantes do colégio de líderes para definir a pauta de votações da semana. Ao longo da semana, saem o Relatório Trimestral de Inflação (RTI) e o resultado primário do Governo Central (ambos na quarta-feira).

Destaque Focus: Inflação avança, câmbio estável. Selic sobe para 2016 e PIB em queda - O Boletim Focus do Banco Central dessa segunda-feira, aponta para uma elevação do IPCA, que deve encerrar o ano em 10,70% e não mais em 10,61% estimado na semana passada. Para 2016 a projeção também é de avanço do índice de 6,80% para 6,87%. Em relação ao câmbio, os economistas ouvidos pelo BC mantiveram a aposta do dólar comercial em R$ 3,90. Para 2016,  ficou inalterada em R$ 4,20. No caso da Selic, a expectativa foi mantida em 14,25% neste ano, mas subiu a estimativa para o ano que vem subindo de 14,63% para 14,75%. O mercado reduziu aposta do PIB de 2015 de -3,62% para -3,70%. Para o ano que vem, a projeção foi de -2,67% para -2,80%.


Mercados Internacionais – Bolsas em alta pelo mundo, em semana de PIB dos EUA.

Bolsas

Bolsas da Europa e futuros de NY em alta - Tanto os futuros das bolsas de Nova York como as bolsas europeias sobem em torno de 1% nesta manhã, num movimento de recuperação das perdas registradas na sexta-feira.

Bolsas da Ásia em alta – Na Ásia, as bolsas fecharam em alta nesta segunda. Começando pelas bolsas chinesas, os investidores renovaram o otimismo que os fundos de seguros continuarão a comprar as ações blue chips, assim o Xangai Composto subiu 1,8%, enquanto o Shenzhen Composto avançou 1%. A Bolsa de Hong Kong teve alta de 0,17%. No Japão, a Bolsa de Tóquio fechou em queda de 0,37%, ainda reagindo mal aos anúncios em torno do programa de estímulos monetários. Em outras praças, a Bolsa de Seul subiu 0,30% e a de Sydney teve alta de 0,05%.


Resultado de eleições na Espanha gera incertezas – O Partido Popular seguiu como o mais votado nas eleições espanholas, mas não com maioria suficiente para governar sozinho. Logo, o partido precisara de alianças com menores, o que gera incertezas. O partido esquerdista Podemos e a sigla Ciudadanos, próxima ao setor empresarial, passaram a ter representação no Parlamento, o que acabou com três décadas de bipartidarismo na Espanha. "Hoje não vamos saber quem será o próximo primeiro-ministro, nem na próxima semana tampouco devemos ter nada muito claro", disse o cientista político Jorge Piquer, da IE University.

PPI da Alemanha em queda – Na Alemanha o PPI recuou 0,2% na comparação mensal, correspondendo à expectativa dos analistas, e registrou queda de 2,5% na comparação anual, a maior queda em 12 meses desde 2010. O mercado aguardava queda 2,4%.


PIB dos EUA no radar internacional - Na agenda internacional estão previstos para hoje o índice de atividade nacional medida pelo Fed de Chicago de novembro (11h30) e a confiança do consumidor de dezembro da zona do euro (13h00). Na terça feira, sai o PIB preliminar do 3º trimestre dos EUA e, na quarta-feira, o PIB final do 3º trimestre do Reino Unido, além de gastos pessoais, rendimento pessoal e encomendas de bens duráveis dos EUA.

 Conforme Análise da XP Investimentos


Agronegócio

Soja

Clima no Brasil e oferta da Argentina influenciam preços na CBOT - Os contratos futuros de soja fecharam em alta na sexta-feira na Bolsa de Chicago (CBOT), acumulando ganho de 2,17% na semana. Os preços foram sustentados pela piora na percepção sobre o clima no Brasil e pela continuidade do movimento técnico de cobertura de posições vendidas. Nesta semana, investidores devem seguir monitorando as condições climáticas no País. A possibilidade de aumento da disponibilidade de soja argentina também continua no radar do mercado. Nesta semana, traders devem seguir monitorando as previsões para o clima no Brasil, mas também a oferta da Argentina. O governo argentino reduziu na semana passada o tributo sobre exportação de soja de 35% para 30%, eliminou o controle sobre o câmbio, o que provocou forte desvalorização do peso, e fechou um acordo com produtores e empresas agrícolas para liquidação de US$ 6 bilhões em grãos estocados em três semanas.  Além disso, os volumes de negócio na CBOT devem diminuir nas semanas de Natal e Ano Novo, com o esvaziamento do mercado perto do fim de ano. Com a atividade reduzida, o movimento de outros mercados, como dólar e petróleo, também pode causar volatilidade em Chicago.

Fonte: AE


Milho

Mercado inicia a semana de olho no clima do centro-oeste – Participantes do mercado doméstico do milho estão atentos ao clima no Brasil. A escassez de chuvas no Centro-Oeste do País preocupa cada vez mais os agricultores, pelo stress que provocam nas lavouras de soja. A situação também levanta temores em relação à safrinha, que corre o risco de ser plantada fora do período ideal. Aliado ao forte avanço do dólar, o cenário alimenta a perspectiva de que os preços do grão possam subir no início do ano, o que faz os vendedores postergarem suas vendas. A moeda norte-americana dá sinais de avanço, sustentando pela crise política brasileira, acentuada no fim da semana passada pela indefinição em relação ao ministro da Fazenda. Mais tarde, a saída de Joaquim Levy do cargo, substituído pelo ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, foi anunciada. A valorização da divisa fez o valor da saca do milho para entrega imediata no Porto de Santos chegar a R$ 40.

Fonte: AE


 



Demais Notícias

31/01/2016 Desbancarize seus investimentos
08/01/2016 Panorama Econômico - Sexta-Feira - 08/01/2016
07/01/2016 Panorama Econômico - Quinta-Feira - 07/01/2016
06/01/2016 Panorama Econômico - Quarta-Feira - 06/01/2016
05/01/2016 Panorama Econômico - Terça-Feira - 05/01/2016
04/01/2016 Panorama Econômico - Segunda-Feira - 04/01/2016
30/12/2015 Panorama Econômico - Quarta-Feira - 30/12/2015
29/12/2015 Panorama Econômico - Terça-Feira - 29/12/2015
28/12/2015 Panorama Econômico - Segunda-Feira - 28/12/2015
23/12/2015 Panorama Econômico - Quarta-Feira - 23/12/2015
22/12/2015 Panorama Econômico - Terça-Feira - 22/12/2015
18/12/2015 Panorama Econômico - Sexta-Feira - 18/12/2015
17/12/2015 Panorama Econômico - Quinta-Feira - 17/12/2015
16/12/2015 Panorama Econômico - Quarta-Feira - 16/12/2015
15/12/2015 Panorama Econômico - Terça-Feira - 15/12/2015
14/12/2015 Panorama Econômico - Segunda-Feira - 14/12/2015
11/12/2015 Panorama Econômico - Sexta-Feira - 11/12/2015
03/12/2015 XPF na Logistech 2015